As 17 principais certificações que provam domínio de idiomas

Veja os certificados que provam domínio de línguas como inglês, francês, alemão, espanhol e italiano e para que tipo de perfil ou objetivo eles são indicados

São Paulo – Muitas vezes não basta ter o idioma na ponta da língua. É preciso provar o domínio no papel. E, para isso, existem no mercado diversas certificações, exigidas por universidades estrangeiras, instituições governamentais, escolas de negócios e também empresas.

Mas antes de sair se inscrevendo em testes de proficiência, Marianthi Boutsiavaras, diretora do Language Factory Centro de Idiomas, recomenda que o candidato tenha em mente qual é o seu objetivo: ser admitido em universidade estrangeira, escola internacional de MBA, candidatar-se a uma vaga em empresa internacional ou apenas para dar embasamento ao currículo.

“O ideal é ele que pesquise também qual a exigência específica da universidade, escola de MBA ou da empresa, checar se há período de validade do certificado e também qual a nota mínima necessária exigida”, diz.

É muito comum encontrar instituições que aceitem mais de uma certificação. O site do ISEP, organização não governamental que reúne 300 universidades em 50 países, tem uma relação de certificações de inglês aceitas por muitas instituições.

Ter familiaridade com as classificações utilizadas no padrão internacional de descrição de habilidades linguísticas é essencial. Veja na tabela como funciona o Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (CEFR, na sigla em inglês):

Nível de domínio Classificação no CEFR
Domínio Pleno C2
Proficiência operativa eficaz C1
Usuário independente B2
Intermediário B1
Básico A2
Iniciante A1

Confira as principais certificações de domínio de inglês, francês, espanhol, alemão, italiano e também português, listadas pela diretora do Language Factory Centro de Idiomas. Muitas delas dão a possibilidade de fazer a prova pelo computador ou no papel:

1. Inglês

TOEFL – Test of English as a Foreign Language

“É o principal certificado, o mais famoso”, diz Marianthi. Com validade por dois anos, é aceito em grande parte das universidades dos Estados Unidos e muitas da Europa, mediante uma nota mínima estabelecida.

“O TOEFL avalia o domínio de inglês do candidato, dentro de um ambiente acadêmico”, afirma. Já há instituições brasileiras que adotam o certificado como pré-requisito.Há diferentes modalidades de prova. Mais informações: no site do TOEFL

TOEIC – Test of English for International Communication

“É um certificado mais prático voltado para área corporativa”, diz Marianthi. A base da avaliação são situações reais de trabalho – reuniões, viagens e ligações telefônicas, por exemplo – e a nota não tem validade definida, a priori.

O inglês americano predomina, mas o candidato pode se deparar com um exercício de compreensão oral em que se ouça sotaque britânico ou australiano. Mais informações: no site do TOEIC

CAMBRIDGE – First Certificate in English (FCE), Certificate in Advanced English (CAE) e Certificate of Proficiency in English (CPE)

Muito comum ser exigido para quem pleiteia uma bolsa de estudo internacional, além, é claro, de aparecer como requisito em universidades ao redor do mundo e, sobretudo, do Reino Unido.

A validade é permanente são cinco níveis de certificado: básico (KET), intermediário (PET), intermediário superior (FCE), avançado (CAE) e proficiência (CPE). Mais informações: no site Cambridge English

IELTS – International English Language Testing System

O IELTS surge como requisito acadêmico, corporativo e pode ser aceito para fins de imigração. De acordo com Marianthi, é reconhecido principalmente, por universidades no Reino Unido, Austrália, Canadá e Nova Zelândia. Inclui redação, interpretação de texto, compreensão auditiva e expressão oral.  Mais informações: no site do IELTS 

ECPE – Michigan: Examination for the Certificate of Proficiency in English
“Testa habilidades e conteúdo típicos de universidades e empresas, mas é mais voltado ao enriquecimento da carreira. Não o vejo aparece como pré-requisito”, diz diretora do Language Factory Centro de Idiomas, que compara o resultado do teste ao CPE, nível de proficiência do Cambridge.

Por isso, a indicação é para quem tem nível avançado. Quem obtém nota média de aprovação recebe o certificado e quem recebe nota alta recebe o Certificate of Proficiency With Honors. Mais informações: no site Cambridge Michigan

BEC – Cambridge Business English Certificate

“É produzido pela Universidade de Cambride e testa o inglês dentro do mundo corporativo”, diz Marianthi. Por isso é indicado para quem estuda na área de negócios, mas não há necessidade de experiência prévia em uma empresa.

São três opções de nível: Business Preliminary (classificação B1 no CEFR), Business Vantage (classificação B2), e Business Higher (classificação C1). Mais informações: no site Cambridge English

GMAT – Graduate Management Admission Test

É uma prova de admissão exigida pela maior parte das escolas de negócios nos Estados Unidos e Europa. O exame vai além do simples domínio do inglês: mede as habilidades matemáticas, de análise de dados, verbais e de leitura e escrita analítica dos candidatos a MBA e a cursos de pós-graduação. “O GMAT busca medir o que costuma se chamar de inteligência mental, ou seja, a habilidade de tomar decisões sob pressão de tempo”, diz Marianthi. Mais informações: no site do GMAT.

BULATS

É uma certificação também oferecida por Cambridge e está disponível para provar domínio de francês, alemão, espanhol, além do inglês. “É um teste que avalia o nível de conhecimento de um funcionário dentro de uma empresa, não existindo aprovação ou reprovação do candidato”, diz Marianthi. Mais informações: no site do Bulats

2. Francês

DELF – Diplome d’Études em Langue Française

É concedido pelo Ministério da Educação da França, e prova o conhecimento oral e escrito do candidato em situações de viagem, estudos e trabalho. “É útil para estudos e trabalho na França porque é reconhecido por instituições de ensino e empresas”, afirma. É indicado e prova domínio nos níveis de A1 a B2 na classificação CEFR. Mais informações: no site da Aliança Francesa.

DALF – Diploma Approfondi de Langue Française

Também concedido pelo Ministério de Educação da França, é o primeiro diploma de nível superior de francês para estrangeiros. É um requisito para ingressar em curso superior na França ou nos países de língua francesa. Prova domínio nos níveis C1 e C2, dentro da classificação CEFR. Mais informações: no site da Aliança Francesa

3. Espanhol

DELE – Diploma de Español como Lengua Extranjera

Os diplomas são concedidos também dentro da classificação de A1 a C2 no CEFR e são oficiais, outorgados pelo Instituto Cervantes, em nome do Ministério de Educação, Cultura e Esporte da Espanha.

“São reconhecidos em diversas universidades e empresas no mundo, com validade indefinida, certificando o nível do conhecimento adquirido em espanhol para fins profissionais e culturais”, diz Marianthi. Mais informações: no site do Instituto Cervantes

4. Alemão

Goethe-Zertifikat

Também oferecido nas classificações do Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas, o certificado é reconhecido por empresas e instituições de ensino como comprovante de qualificação. Mais informações no site do Goethe Institut 

TestDaF – Test Deutsch als Fremdsprache

O DAF é voltado para alunos avançados, de nível B2 a C1 e é requisito para acesso a universidades alemãs, ingresso em projetos científicos e profissões acadêmicas. Mais informações: no site do Goethe Institut 

5. Italiano

CELI – Certificato di Conoscenza della Lingua Italiana

Também oferecido nos seis níveis de classificação, A1 a C2, o CELI é fornecido pela Universidade para Estrangeiros de Perugia, conveniada ao Ministério das Relações Exteriores da Itália. Mais informações: no site da universidade 

CILS – Certificazione di Italiano come Lingua Straniera

Também é oficial e é oferecido pela Universidade para Estrangeiros de Siena. Foi a primeira certificação de proficiência em italiano a adotar a classificação do Quadro Europeu Comum de Referência (CEFR). Mais informações no site da universidade.

IT – Certificato di italiano come Lingua Straniera

É a certificação oficial dada pela Universidade dos Estudos Roma Ter e é também dividida em nos níveis da classificação europeia: de A2 a C2. Mais informações no site da universidade.

PLIDA – Progetto Lingua Italiana Dante Alighieri

A certificação oferecida pela Sociedade Dante Alighieri também funciona dentro da classificação de A1 a C2 e mede as habilidades de escrita, fala, compreensão oral e de leitura. Como as outras, é fruto de convênio com o Ministério das Relações Exteriores da Itália. Mais informações: no site do PLIDA 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website